APRENDER A LIDERAR A SI MESMO PODE FAZER TODA A DIFERENÇA PARA QUEM LIDERA

APRENDER A LIDERAR A SI MESMO PODE FAZER TODA A DIFERENÇA PARA QUEM LIDERA

por Félix Costa

Como um especialista em Desenvolvimento Humano e Inteligência Comportamental, recentemente compartilhei uma pesquisa de opinião – inédita na EVOLUSER - com alguns de meus mais próximos relacionamentos, um público composto por mais de 100 gestores - consultores e líderes de pequenas, médias e grandes empresas -, para conhecer o que pensam, como decidem e o que anseiam essas pessoas, responsáveis por outras pessoas e por importantes negócios em suas corporações.

De acordo com esses experts, a maior dificuldade do líder está relacionada a GESTÃO DE TEMPO (28,6%). Obter muitas tarefas e não conseguir executá-las como gostaria é um fator crítico que pode impactar em suas performances.

Em relação ao COMPORTAMENTO, a inconsciência sobre seus próprios pontos fortes e fracos é a principal dificuldade da maioria (29,4%). Como saber o que faço de melhor e o que tenho a desenvolver, se não consigo me autoconhecer?

A INTELIGÊNCIA EMOCIONAL foi a mais sinalizada (75%) como importante para o autodesenvolvimento de quem está na liderança. Conseguir sentir, reconhecer e moderar seus próprios gatilhos emocionais (emoção, ação e reação) é uma habilidade altamente relevante, sobretudo para quem inspira e influencia outras pessoas: autoconhecimento e o autodomínio trabalhando juntos.

Com apenas esses 3 tópicos – GESTÃO DE TEMPO, COMPORTAMENTO E INTELIGÊNCIA EMOCIONAL – já conseguimos concluir que uma preparação mais direcionada a AUTOLIDERANÇA (autoconsciência sobre quem é, com reconhecimento das próprias crenças limitantes) poderia ajudá-los – e muito – a tornarem-se mais eficientes e alinhados ao propósito de liderar outros, concordam comigo?


Minha grande surpresa 

Porém, minha surpresa foi em relação a uma outra questão da pesquisa, sobre o que impede o líder de trabalhar seu autodesenvolvimento em prol do negócio e equipe. Boa parte dos entrevistados (27%) respondeu que NÃO COMPREENDE como mudar sua performance pode resultar em ganhos para a empresa e para seus times.

Sendo que, quase a totalidade dessa nossa amostra (83,2%) confirmou, com base em suas opiniões e experiências, que as pessoas mudam seus comportamentos com treinamentos. E mais, (50%) afirmou também já ter pedido demissão ou ser demitido por conta de problemas de relacionamento com algum líder.

Ao meu ver, há um paradoxo a ser esclarecido. Os líderes precisam compreender que aprender a comandar primeiramente a si mesmo – com autoconsciência – é fundamental para conseguir comandar e, sobretudo, a despertar no outro a mesma necessidade de se autoconhecer.

Se como já nos trouxe Max Gehringer, historicamente, o líder (ladan, leader ) é aquele que, além de conhecer e conduzir ao melhor caminho, também “cuida bem de todos, como grupo, e de cada um, individualmente, reconhecendo que seres humanos reagem a estímulos de maneiras diferentes”, como duvidar que aprimorar a LIDERANÇA DE SI MESMO faz toda a diferença para liderar o TODO ao qual ele faz parte?

PS.: Clique e veja os resultados completos da pesquisa