Algumas diferenças entre espiritualidade e religião

Algumas diferenças entre espiritualidade e religião

Muitas vezes tenho sido indagado por especialistas em desenvolvimento humano, sobre, como eu sendo um empresário, profissional de mercado, tendo atuado como executivo de multinacionais com formação cartesiana, posso ser professor de Eneagrama, restringindo o processo aos aspectos de transformações comportamentais e deixar de lado os aspectos espirituais?

Sabe-se que existem diversas escolas de Eneagrama com abordagem psicoespirituais, de diversas correntes filosóficas e religiosas.  Acontece que, pessoalmente, acredito que a evolução espiritual é algo inerente ao ser humano, e deve ser trabalhada durante toda a vida.

Trata-se de um exercício contínuo, que, uma vez iniciado, não terá fim. Através desse, conhecemos a nós mesmos cada vez mais e, consequentemente, compreendemos os outros: suas angústias, suas paixões, suas dores, motivações e comportamentos.

Inexoravelmente, tornamo-nos mais íntegros conosco e empáticos com os outros, gerando uma relação mais produtiva e uma comunicação mais assertiva. Até porque tudo o que nos incomoda através das pessoas a nossa volta é fruto de nossa própria percepção. Ou seja, é tudo nosso. Como diz um sábio oriental: “Tudo é espelho”.

A evolução espiritual muitas vezes tende a ser confundida com religião ou devoção religiosa. Apesar de uma grande conexão entre essas duas perspectivas, engana-se quem pensa que esses dois conceitos estão completamente ligados.

Certamente você conhece alguém que não tem uma religião definida ou que não frequenta algum grupo com regras específicas, que pode perfeitamente ser desenvolvido espiritualmente. Falaremos um pouco a respeito das diferenças entre espiritualidade e religião.

  • A religião é uma tentativa de estruturar um meio de levar as pessoas ao desenvolvimento espiritual, criando normas e regras para esse caminho. O que, por um lado, é muito interessante, pois facilita o julgamento entre o certo e o errado; o bom e o mau em um determinado grupo de crentes ou seguidores, pode, por outro lado, também levar a um enquadramento dos princípios e crenças, tornando a religião uma forma de restringir o desenvolvimento e aprimoramento dos indivíduos. Isso se dá porque valores, crenças e verdades mudam, assim como o próprio homem muda. A espiritualidade é baseada na liberdade de escolha e no conforto de sermos quem somos, sem precisarmos carregar culpas, apenas assumindo a responsabilidade por tudo o que decidirmos fazer.

 

  • A religião muitas vezes baseia-se no medo para existir. Através de conceitos como o “certo e errado” ou a “punição divina”, muitos determinam suas ações temendo o castigo, mesmo que seus pensamentos e intuições apontem para outra direção. A espiritualidade infla o ser humano de coragem e disposição para enfrentar os desafios e o estimula a assumir as responsabilidades e consequências de seus atos. A empatia e o amor são mais estimulantes do que o medo.

 

  • A religião, em várias versões, torna o fiel dependente do culto que segue. O engajamento é cobrado agressivamente dos religiosos e condena aqueles que não seguirem rotinas pré-determinadas por terceiros. A espiritualidade acredita que o autoconhecimento é a chave para uma vida feliz. Depender e pensar apenas pela cabeça dos outros não traz necessariamente evolução, mas tende a trazer ignorância. A responsabilidade pessoal, a compaixão e o servir ao próximo, cultivados dentro de cada um de nós, é que realmente nos aproxima de nossos semelhantes.

 

  • A religião separa as pessoas. Estamos cansados de ver guerras e disputas movidas pela fé, enquanto ela deveria unir a todos na paz. A categorização das crenças em melhores ou piores dão espaço para pré-julgamentos, opiniões ofensivas e até de ódio, o que não é saudável para ninguém. A evolução espiritual preza pela união dos seres. O exercício de se colocar no lugar do próximo antes de tomar qualquer decisão é essencial para uma vida harmoniosa. Ao deixarmos de segregar as pessoas como evangélicas, muçulmanas ou católicas, por exemplo, o combate entre as crenças cairá por terra. Quando forem classificados apenas como seres humanos, cada um com suas verdades, valores e opiniões, pregando o conhecimento e a empatia para a vida em sociedade, a vida será mais justa, além de espalhar a felicidade e expandir a satisfação individual.

 

O Instituto Evoluser acredita na elevação espiritual como forma de alcançar a paz interior e o sucesso, seja qual for a sua definição: felicidade, harmonia, saúde, prosperidade. O Curso de Autoconhecimento Através do Eneagrama Sistêmico Integral é uma metodologia que utiliza uma poderosa ferramenta que facilita esse processo e pode ser utilizada por qualquer pessoa. Consulte-nos e saiba mais.